Production
https://www.prod.org.br/article/doi/10.1590/S0103-65132010005000055
Production
Article

Um estudo de simulação computacional para a análise de perfis de aprendizagem organizacional

A computer simulation study for the analysis of profiles of organizational learning

Azevedo, Debora; Vaccaro, Guilherme Luis R.; Lima, Rodrigo Costa de S.; Silva, Debora Oliveira da

Downloads: 0
Views: 119

Resumo

Este artigo apresenta um modelo de simulação computacional que estende o modelo de aprendizagem mútua proposto por March (1991) com base no modelo SECI de Nonaka e Takeuchi (1997). Inicialmente são apresentadas considerações sobre aprendizagem organizacional e o modelo de aprendizagem mútua. Em seguida o modelo de March é revisitado, e são propostas extensões. São simulados diferentes cenários de evolução do modelo proposto, considerando as extensões, e analisados os resultados com base no referencial teórico. Finalmente, este trabalho apresenta considerações sobre a interpretação dos resultados obtidos em diferentes ambientes organizacionais, objetivando discutir a relação entre perfis de organização e aprendizagem organizacional.

Palavras-chave

Simulação. Aprendizagem organizacional. Modelos de aprendizagem.

Abstract

This paper presents a computer simulation model that extends the model of Mutual Learning proposed by March (1991) based on the SECI model presented by Nonaka and Takeuchi (1997). Initially some considerations are presented on organizational learning and the model itself. Then the model proposed by March is revisited, and extensions are proposed. Various scenarios of evolution of the model are simulated, and the proposed extensions are analyzed. The results are analyzed, based on the theoretical framework proposed. Finally, some considerations are presented on the interpretation of results obtained in different organizational environments, in order to discuss the relationship between profiles of organizations and organizational learning.

Keywords

Simulation. Organizational learning. Learning models.

References



CASSEL, G. L.; VACCARO, G. L. R. A Aplicação de simulação-otimização para a definição do mix ótimo de produção de uma indústria metal-mecânica. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 27., 2007, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu: ABEPRO, 2007.

COHEN, W. M.; LEVINTHAL, D. A. Absorptive capacity: a new perspective on learning and innovation. Administrative Science Quaterly, v. 35, n.1, p. 128-152, 1990.

COLLINS, J.; PORRAS, J. Feitas para durar: práticas bem-sucedidas de empresas visionárias. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.

CROSSAN, M.; LANE, H. W.; WHITE, R. E. An organizational learning framework: from intuition to institution. Academy of Management. The Academy of Management Review, v. 24, n. 3; p. 522-537, 1999.

FIOL, C. M.; LYLES, M. A. Organizational learning. Academy of Management. The Academy of Management Review, v. 10, n. 4, p. 803-813, 1985.

FLEURY, A. C. C.; FLEURY, M. T. L. Estratégias empresariais e formação de competências: um quebra-cabeça caleidoscópico da indústria brasileira. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2004.

FRANCINI, W. S. A gestão do conhecimento: conectando estratégia e valor para a empresa. RAE-eletrônica, v. 1, n. 2, 2002.

GARVIN, D. A. The processes of organization and management. Sloan Management Review, v. 39, n. 4, p. 33-50, 1998.

HARLOW, H. The effect of tacit knowledge on firm performance. Journal of Knowledge Management, v. 12, n. 1, p. 148-163, 2008.

LAHTEENMAKI, S.; TOIVONEN, J.; MATTILA, M. Critical aspects of organizational learning research and proposals for its measurement. British Journal of Management, v. 12, p. 113-129, 2001.

MARCH, J. Exploration and exploitationin organizational learning. In: COHEN, M.; SPROULL, L. Organizational learning. Califórnia: Sage, 1991.

NADLER, D.; GERSTEIN, M. S.; SHAW, R. B. Arquitetura organizacional: a chave para a mudança empresarial. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

NONAKA, I. A empresa criadora de conhecimento. Aprendizagem organizacional: os melhores artigos da Harvard Business Review. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

NONAKA, I; RYOKO, T. The knowledge-creating theory revisited: knowledge creation as a synthesizing process. Knowledge Management Research & Practice, n. 1, p. 2-10, 2003.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

PIDD, M. Modelagem empresarial: ferramentas para a tomada de decisão. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994.

SANCHEZ, R.; HEENE, A. A Competence perspective on strategic learning and knowledge management. In: SANCHEZ, R.; HEENE, A. (Eds.). Strategic learning and knowledge management. Chichester: John Wiley & Sons, 1997. p. 3-15.

SHANNON, R. E. Introdution to simulation. In: WINTER SIMULATION CONFERENCE, 24., 1992, San Diego. Proceedings... San Diego: ASA, 1992. p. 65-73.

SHRIVASTAVA, P. A typology of organizational learning systems. Journal of Management Studies, v. 20, n. 1, 1983.

SOUZA, Y. S. Organizações de aprendizagem ou aprendizagem organizacional. RAE-eletrônica, v. 3, n. 1, 2004.

TAKEUCHI,H; NONAKA, I. Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008.

VACCARO, G. L. R. Modelagem e análise de dados em simulação. Porto Alegre: Instituto de. Informática/UFRGS, 1999. Projeto de doutorado.

ZANGISKI, M. A. S. G.; LIMA, E. P.; COSTA, S. E. G. Aprendizagem organizacional e desenvolvimento de competências: uma síntese a partir da gestão do conhecimento. Produto & Produção, vol. 10, n. 1, p. 54-74, 2009.

5883a3cb7f8c9da00c8b4648 1574685864 Articles
Links & Downloads

Production

Share this page
Page Sections