Production
https://www.prod.org.br/article/doi/10.1590/S0103-65131998000100002
Production
Article

A vivência da implantação do programa de qualidade total: um estudo de caso

A vivência da implantação do programa de qualidade total: um estudo de caso

Oliveira, Simone

Downloads: 0
Views: 107

Resumo

A pesquisa, que baseou-se em estudo de caso de uma indústria têxtil, no município de Nova Friburgo(RJ), procurou perceber como os Programas de Qualidade Total são pensados para aumentar a qualidade do produto, sem contudo modificar a qualidade de vida dos trabalhadores. Identificou a convivência de situações diversas de precárias condições de trabalho ou de seu processo com outras de sofisticadas exigências - abstração, controle da qualidade à nível do operador, generalização do conceito fomecedor/cliente etc. -; que esbarra em uma força de trabalho de baixa escolaridade, desenvolvendo um ambiente tenso, intensificando o ritmo de trabalho, sem contudo promover ganhos concretos para os trabalhadores.

Palavras-chave

Programa de Qualidade Total, inovação tecnológica, indústria têxtil

Abstract

The case study of a textile industry, in country of Nova Friburgo (Rio de Janeiro), had the purpose to understand how the implementation of Total Quality Programas are formulated in order to increase the product quality without modifying, though, the worker's life quality. It was detected the occurrence of precarious work condition situations, or of their process involving other sophisticated requirements -abstraction, control interiorization, generalization of the concept vendor/client, etc.-which are confronted with a low level scholarship labour force creating a tense atmosphere, where with a labour rhythm intensification, whithout producing actual gains for workers, though.

Keywords

Total Qualit Control, technological inovation, têxtil industry

References



ABREU, A., 1993. Mudança tecnológica e gênero no Brasil: primeiras reflexões. Novos Estudos CEBRAP, 35: 121-132.

CARVALHO, R. Q. & SCHMITZ, H., 1990. O fordismo está vivo no Brasil. Novos Estudos CEBRAP, 27: 148-156.

CORIAT, B., 1994. Pensar pelo Avesso: O Modelo Japonês de Trabalho e Organização. Rio de Janeiro: UFRJ/Revan.

FERREIRA, C. G. et al., 1991. Alternativas sueca, italiana e japonesa, ao paradigma fordista: elementos para uma discussão sobre o caso brasileiro. Seminário Interdisciplinar "Modelos de Organização Industrial, Política Industrial e Trabalho". ABET - Associação Brasileira de Estudos do Trabalho.

HARVEY, D., 1994. Condição pós-moderna. São Paulo: Edições Loyola.

HUMPHREY, J., 1989. Novas formas de organização do trabalho na indústria: suas implicações para o uso e controle da mão-de-obra no Brasil. In: Seminário Padrões Tecnológicos e Políticas de gestão: comparações internacionais. Anais, São Paulo: USP/UNICAMP.

LEITE, M., 1993. Novas formas de gestão da mão-de-obra e sistemas participativos, Uma tendências à democratização das relações de trabalho? Educação & Sociedade, 14(45): 190-10.

TAUILE, J. R., 1993. Estado e desenvolvimento capitalista: propostas para um projeto contemporâneo. Boletim de Conjuntura. Rio de Janeiro, 12(3): 93-116.

WEISS, J.; RABECHINI, R Jr.& HWA, C., 1993. Indústria têxtil: oportunidades para instituições de pesquisa. Revista de Administração, 28(1): 65-74.

5883a41f7f8c9da00c8b47c1 1574685864 Articles
Links & Downloads

Production

Share this page
Page Sections